CMPC compra ativos da Iguaçu Celulose Papel

O grupo chileno CMPC anunciou a aquisição dos ativos da Iguaçu Celulose Papel, segunda maior fornecedora de sacos industriais no país.


Fábrica da Iguaçu Celulose Papel rodeada de árvores e infraestruturas

O grupo chileno CMPC anunciou a aquisição dos ativos da Iguaçu Celulose Papel, a segunda maior fornecedora de sacos industriais no país.

O negócio será fechado por cerca de R$ 946 milhões, e com isto, a multinacional entra no mercado local de embalagens. A transação está sujeita à aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). A expectativa, segundo a CMPC, é que o negócio seja consumado em até três meses.

O negócio inclui ativos de celulose, papéis e sacos de papel no Paraná e em Santa Catarina, além de florestas de pinus. A CMPC informou, que o acordo contempla três fábricas com capacidade produtiva anual de 105 mil toneladas de celulose, 120 mil toneladas de sack kraft e 21 mil toneladas de papéis especiais, além de linhas de conversão com capacidade de 500 milhões de sacos de papel por ano.

A negociação envolve as fábricas de São José dos Pinhais (PR), Piraí do Sul (PR) e Campos Novos (SC), além de área florestal no Paraná.

No Brasil, a CMPC já estava presente com produção própria de celulose de eucalipto, com uma fábrica de Guaíba (RS), e florestas. A CMPC é a 11ª maior empresa da região e também a terceira maior do Rio Grande do Sul, de acordo com o ranking 500 MAIORES DO SUL, publicado pelo Grupo AMANHÃ.

Scroll to Top