Esplanadas e vegetarianismo: tendências para os restaurantes em 2022

A pandemia alterou muitos hábitos de consumo, incluindo a alimentação fora de casa. Veja a opinião de especialistas na restauração relativamente às tendências para 2022.

Pratos com comida vegetariana saudável e tábua com rodelas de limão e salsa picada

A revista Marketeer convidou os especialistas da Edições do Gosto e Bruno Azevedo a anteciparem as tendências do panorama gastronómico português em 2022. Com a pandemia a intensificar a alteração de hábitos, assistimos à procura crescente por espaços exteriores e o cuidado com a saúde mental dos colaboradores. Mas também se fazem notar a preocupação com a dieta baseada em vegetais e o conhecimento da cozinha africana, segundo a opinião dos peritos em gastronomia.

Conheça as 11 tendências da restauração para 2022:

  1. Mundo vegetal 2.0

Os consumidores preocupam-se cada vez mais em adotar uma dieta com menos proteína animal e mais proteína vegetal.  Prevê-se uma clara aposta dos restaurantes em apresentar propostas vegetarianas e vegans.

   2. Saúde mental das equipas

É cada vez mais notória a preocupação com as sobrecargas emocionais e físicas dos recursos humanos. Os profissionais do setor desejam uma maior conciliação entre a vida pessoal e familiar. A tendência é para maior foco na gestão das remunerações, folgas e horários de trabalho, que são um ponto crítico na captação e retenção de talentos.

   3. Tecnologia sem contacto

Consequência de sucessivos confinamentos, o recurso à tecnologia na restauração permitiu reservar mesas, encomendar take-away, entregar em casa, escolher e pagar refeições com pouca intervenção humana, através de plataformas digitais.

   4. Restaurantes portáteis

Levar o restaurante para sítios menos habituais e inusitados é outra tendência apontada pelos especialistas. Inclui novos restaurantes fora das localizações habituais e pedidos de comida em que o cliente finaliza o prato em casa.

   5. Gastronomia colaborativa

Os chefes de cozinha gostam de ter oportunidades para partilhar conhecimentos, soluções e práticas, além de participar em eventos que promovem o fortalecimento da gastronomia.

   6. Small is beautiful

A pandemia veio demonstrar as virtudes dos espaços pequenos, como sendo mais ágeis a responder aos problemas de gestão. Por outro lado, a pequena dimensão permite apostar na autenticidade e compromisso com a sociedade.

  7. Encurtar distâncias

Encurtar a distância entre os produtos alimentares ao restaurante, a distância mais curta privilegia a relação entre produtores locais e consumidores. É também útil para a redução da pegada de carbono, sublinham os especialistas.

  8. Simplificação

Casual no restaurante, no serviço e no consumo. A simplificação do serviço permite retirar o acessório e ficar apenas com o essencial.

  9. Exterior

Durante a pandemia, as esplanadas assumiram um protagonismo essencial. No futuro, refeições a céu aberto aparecem cada vez mais nas opções de restauração e eventos especiais.

  10. Comida e arte

Relacionar a arte com a sociedade e colocar as pessoas no centro da arte pode ser o papel desempenhado pelo restaurante do futuro. Os cozinheiros assumem-se como agentes de divulgação artística e cultural.

  11. Cozinha africana

As comidas dos países de África são cativantes e intensas. O atual momento cultural e geracional antecipa o encontro com mais gastronomias africanas nos menus e mesas dos restaurantes.

Scroll to Top