Hub de investimentos Europar investe 100 milhões em Portugal

Antecipando a procura dos brasileiros por imobiliário em Portugal, a Europar quer investir 100 milhões de euros no país.


Depois de ter adquirido o Évora Retail Park por 6,1 milhões de euros, a Europar Investimentos & Participações tem mais 100 milhões de euros para investir no mercado imobiliário português. Segundo o CEO do grupo, Marcos Germano Matrowitz, vai haver “muita procura por parte do povo brasileiro” por terrenos em Portugal. Em declarações ao jornal ECO, o empresário prevê que os próximos cinco anos serão “muito bons” para o mercado imobiliário.

A empresa brasileira está presente no mercado português há 5 anos e funciona como um hub de investimentos e serviços financeiros para investidores na Europa. “Desenvolvemos ativos para passar a outros investidores”, explica o responsável ao jornal. “Somos um sead money. Um promotor contacta-nos, diz-nos que tem um projeto e que precisa de metade do capital”. É nessa altura que a Europar avança com o capital e dá início ao desenvolvimento do projeto.

A aquisição dos espaços não se destina totalmente a uso próprio, mas sim a reinvestimento. Foi o que aconteceu com o Évora Retail Park, que revelava “potencial de expansão” e foi adquirido em setembro à M7Real Estate através do fundo M7 Portuguese Active Fund. Neste caso, 8.200 metros quadrados foram, entretanto, vendidos a marcas como AKI/Leroy Merlin, Hôma, Feira dos Sofás, Worten e Sprot Zone. Mas a empresa está a construir mais 6.200 metros quadrados com o objetivo de vender novas lojas.

“Estamos a comprar um contrato de arrendamento de longo prazo com uma garantia forte”, adianta Matrowitz. “Estamos a tentar uma renda garantida sobre aquele investimento, com potencial de valorização”, acrescentando que a Europar não costuma ficar com os ativos durante muito tempo.

A Europar em Portugal

O primeiro projeto imobiliário da Europar em Portugal foi a compra de um Burger King na Moita, ao qual se seguiram outros investimentos na mesma cadeia. A entrada da empresa no país relaciona-se com a procura por mais estabilidade e segurança, revelou o empresário ao ECO. E, devido à incerteza política vivida no Brasil, a par com as consequências da pandemia, o CEO antecipa uma grande procura de brasileiros pelo território europeu. Até porque o mercado apresenta agora um cenário muito favorável, defende Markowitz. “Na parte imobiliária as coisas melhoraram bastante nos últimos dez anos”, adianta, apesar do receio inicial causado pela pandemia: “Nos primeiros três meses o mercado ficou muito apreensivo, mas depois foi um absurdo. Há pessoas de todo o mundo a investir em imóveis de retalho em Portugal”, afirma o responsável, considerando que “os próximos cinco anos vão ser muito bons”.

Com estas três operações, adianta a M7 em comunicado enviado esta segunda-feira, a empresa encaixou 12,2 milhões de euros. “O mercado de investimento em Portugal continua a apresentar um desempenho muito positivo, apesar do cenário desafiador, tendo estas três operações de venda gerado retornos muito atrativos para os nossos investidores”, diz Leonardo Peres, diretor-geral em Portugal da M7.

O responsável adianta que já há várias transações previstas para 2022 e que no início deste ano já se perspetivam mais de dois mil milhões de euros em operações “em curso e em diferentes fases de negociação”. Um valor que já supera todo o ano de 2021.

A Europar afirma estar “fortemente focada no desenvolvimento e estruturação de produtos e serviços financeiros para atender as necessidades de investimento e captação de recursos”, ao atuar na “assessoria a investidores que procuram retornos perenes, lucrativos e com prazos satisfatórios, além de riscos mitigados”.

Scroll to Top