Portugal associa-se a Aliança para Além do Petróleo e do Gás

Eliminar a exploração de combustíveis fósseis a nível global é o objetivo da Aliança para Além do Petróleo e do Gás (BOGA). Dinamarca e Costa Rica são os países fundadores.


Plataforma petrolífera no oceano com guindastes e maquinaria pesada

Os fundadores da Aliança para Além do Petróleo e do Gás (BOGA na sigla em inglês) querem “marcar uma direção clara para os governos” para pôr fim aos combustíveis fósseis a nível global. Os países aderentes comprometem-se a não autorizar novas licenças ou concessões para exploração e produção de petróleo e gás e a estabelecer uma data para encerrar a extração nos territórios sob sua jurisdição.

A iniciativa foi apresentada na cimeira do clima da ONU que decorreu em Glasgow, Escócia, no início de novembro. A Dinamarca e a Costa Rica são os responsáveis pela declaração, que conta ainda com a adesão de França, Irlanda e Suécia, País de Gales, Québec e Groenlândia. Como “membros associados”, assinaram a Califórnia, Nova Zelândia e Portugal. Já a Itália aderiu com o estatuto de “amiga”. No entanto, apenas a Dinamarca estabeleceu um prazo – até 2050 – para cumprir o objetivo e investir em alternativas como produção eólica marítima.

“Ao assinar esta declaração, Portugal assume que não irá prosseguir quaisquer políticas de exploração de hidrocarbonetos no seu território”, esclareceu o ministério português do Ambiente e Ação Climática, que pretende continuar “a política já iniciada de eliminação de subsídios ao uso de combustíveis”. De resto a Lei de Bases do Clima já excluía a produção destes tipos de energia.

Scroll to Top