Variante Omicron leva ao cancelamento das festas de réveillon

No Brasil e em Portugal, diversos municípios já anunciaram o cancelamento das celebrações de festas de réveillon.


Fogo de artíficio a explodir no céu noturno

Devido à escalada da variante Omicron, 21 cidades do Brasil já anunciaram que não vão realizar eventos de réveillon. Entre elas, São Paulo confirmou o cancelamento da festa na Avenida Paulista. A cidade mantém a obrigatoriedade de apresentar o passaporte vacina em eventos com mais de 500 pessoas e o uso de máscara em todos os espaços fechados.

Por outro lado, o Rio de Janeiro mantém a intenção de celebrar a chegada do novo ano, mas a decisão final só será tomada a meio de dezembro, depois de obtido um parecer de especialistas científicos.

Algumas cidades brasileiras tentam conciliar os festejos sem comprometer a saúde pública, num esforço para evitar ajuntamentos. Em Florianópolis, por exemplo, os espetáculos foram suspensos, mas o fogo de artifício mantido. Em João Pessoa, serão permitidas festas particulares na praia, mas a prefeitura decidiu não realizar apresentações em palcos. Já o governo do Piauí adotou medidas mais restritivas para eventos particulares, proibindo shows em casas fechadas com público nas pistas de dança ou em pé e limitando à metade a capacidade dos espaços.

Em Portugal, onde o Governo já declarou o regresso do estado de calamidade, os municípios de Lisboa e Porto também anunciaram o cancelamento da maior parte dos eventos de passagem de ano. Estão previstas novas medidas de restrição à medida que a pandemia evolui. Em Braga e na Nazaré o cenário é também de prudência, ao passo que em Albufeira, Algarve, deverá ser mantido o tradicional fogo de artifício, mas de forma deslocalizada.

Scroll to Top